Blog

Torcedor do Vasco relata cenas de racismo: ‘Eles não tem noção da gravidade do ato’ O Dia

Argentina – Atos racistas no futebol infelizmente ainda são comuns em 2018. O jogo entre Racing e Vasco, na última quinta-feira, pela Libertadores, teve mais um episódio lamentável de injúria contra os brasileiros. O torcedor cruzmaltino Leonardo Sul, de 23 anos, relatou em detalhes as cenas que presenciou no estádio Estádio Presidente Perón, na Argentina. 

“O clima estava bom, torcedores do Racing e do Vasco juntos antes do jogo. Quando começou o jogo tiveram provocações normais de rivalidade, mas tudo normal. O problema foi quando acabou o jogo. Alguns torcedores juntaram no alambrado e começaram a fingir que estavam descascando banana, imitar macaco, isso na nossa cara. Na parte de baixo da arquibancada também. Mas o que me chamou mais atenção foi que parece que eles não tem noção da gravidade do que eles estão fazendo. Tinham crianças de 11 ou 12 anos imitando macaco e fingindo que estavam comendo banana, rindo e dançando”, disse.

Os clubes trocaram elogios nas redes sociais durante toda a semana, com o propósito de manter a paz entre as torcidas. Para Leonardo, as ações pelo Twitter podem ter ajudado, mas não pareceram ser o suficiente para evitar o episódio de discriminação no fim da partida.   

Torcedores do Vasco não foram bem recebidos na Argentina – Reprodução

“As manifestações dos clubes no Twitter podem ter sim ajudado. Estava tudo muito tranquilo antes do jogo. Talvez isso tenha conscientizado um pouco. Mas infelizmente, depois dos atos racistas no fim do jogo, todos os torcedores do Vasco ficaram muito chateados e isso pode criar uma hostilidade pro jogo de volta desnecessária”, completou. 

O Vasco é um clube que historicamente lutou contra o preconceito, sendo um dos pioneiros no futebol a incluir negros e operários em suas equipes. Outro torcedor vascaíno, Roberto Júnior, de 24 anos, relatou que ao ver as atitudes racistas, a torcida cruzmaltina cantou a música ‘Camisas Negras’, uma canção feita pela torcida exaltando a história de luta contra o racismo no futebol. Roberto garantiu que a resposta no jogo de volta deve ser essa e não com violência. 

“Quem veio pro jogo com certeza ta muito chateado, mas não acho que terá um clima hostil. Vamos responder como respondemos ontem (quinta). Quando chamaram a gente de macaco, nós cantamos ‘Camisas Negras’. O Vasco é um clube historicamente contra o racismo. Essa é a melhor resposta que podemos dar, não só para alguns torcedores do Racing mas pro mundo inteiro. Nossa história fala por si só”, completou. 

Reportagem de Gabriel Grey

Todos os Créditos

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vasco vence e complica o Cruzeiro; veja coletiva de Vanderlei Luxemburgo