Blog

Fellipe Bastos é punido por três jogos de suspensão por canto homofóbico O Dia – Vasco

A provocação à torcida do Fluminense com cantos homofóbicos, postada na internet após o título da Taça Guanabara, saiu caro para Fellipe Bastos. Julgado nesta terça-feira pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-RJ), o volante, que pouco tem sido aproveitado pelo Vasco, foi punido com três partidas de suspensão.

Bastos foi denunciado em dois artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), mas a própria Procuradoria excluiu a denúncia no 258 (assumir conduta contrária à disciplina ou ética desportiva) e manteve apenas o 243-G (praticar ato discriminatório), cuja pena varia de 5 a 10 jogos.

Presente no julgamento, Bastos garantiu que não é preconceituoso quando foi perguntado pelos auditores e também disse que não se sentiria ofendido se os cantos viessem dos jogadores ou da torcida adversária. Ainda assim, admitiu o erro e reforçou que estava apenas repetindo uma música cantada pelos torcedores do Vasco.

“Acho que me excedi um pouco por ter cantado uma música ofensiva à outra torcida. Foi infeliz, muito infeliz. Extrapolei a comemoração. Foi desrespeitosa com o Fluminense”, afirmou Bastos durante o julgamento.

O relator do caso, Leonardo Lemos, declarou que Bastos ” teve intenção de ofender, mas não como preconceito”. Por isso, desqualificou o artigo 243-G e enquadrou o volante no 243-F (ofender alguém em sua honra) e pediu suspensão de quatro jogos, mais multa de R$ 11 mil. Entretanto, a maioria dos auditores enquadrou Bastos no artigo 258 e pediu pena de três partidas.

Todos os Créditos

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vasco vence e complica o Cruzeiro; veja coletiva de Vanderlei Luxemburgo