Blog

Diretoria do Vasco entra com recurso para inverter a anulação da eleição de 2017 O Dia

Rio – A invencibilidade de quatro jogos no Campeonato Brasileiro não mascara a delicada realidade do Vasco, dentro e fora de campo. Nesta terça-feira, a diretoria entrou com recurso, em segunda instância, para tentar inverter a anulação da eleição de 2017. Fora de campo, o momento também é tenso e preocupante, com o risco de rebaixamento na casa dos 40%.

A recepção após o empate em 1 a 1 com o lanterna Paraná, em Curitiba, nesta terça-feira, não foi nada calorosa. Embora o clube não tenha revelado informações sobre o desembarque no Galeão, cinco torcedores aguardavam a chegada da delegação. Os jogadores e o presidente Alexandre Campello foram muito hostilizados.

O clima ficou mais tenso no momento em que os seguranças do clube se posicionaram para cerca os atletas e dirigente. Houve troca de empurrões e bate boca entre o grupo de torcedores e seguranças. O empate com o virtualmente rebaixado Paraná aumentou a pressão sobre o técnico Alberto Valentim. Com apenas uma vitória em oito jogos à frente do Vasco, ele tem aproveitamento de 25%.

O empate com o Paraná deixou o Cruzmaltino fora do Z-4, com 30 pontos, em 16º lugar, mas não minimizou a cobrança sobre o treinador e sobre os jogadores, que acrescentaram a instabilidade política como mais um ‘adversário’ a ser batido na luta contra o rebaixamento, discurso já rechaçado nas redes sociais pelo ex-jogador Felipe, o mais vitorioso da história do Vasco.

A anulação da última eleição gera dúvidas no comando do clube, que, por determinação da Justiça, ainda é presidido interinamente por Alexandre Campello. Por conta de fraudes comprovadas pelo inquérito da Polícia Civil, um novo pleito foi marcado para dezembro. A indefinição coloca em risco o empréstimo de R$ 31 milhões para pagar os atrasados de jogadores e funcionários e honrar a folha de pagamento até dezembro.

“Pela minha experiência, é impossível que não afete. O time está bem, treinador fazendo coisas boas. Mas essa confusão (política) não está ajudando. Se quiser ficar na Série A, tem que ir para cima dos problemas. Vou ajudar. O time está com moral para ficar. Mas não ajuda, não é bom”, disse Maxi López, ao ‘Bem Amigos’.

Com mais 11 rodadas pela frente, o Vasco tenta reduzir o risco de queda, que é de 40%. Valentim crê na reação da equipe e pede o apoio. “O torcedor não está satisfeito, e nós também. Quando falo em unir forças, falo em comissão técnica, jogadores, diretoria, que têm feito esforço para dar condição de trabalho”, disse Valentim.

Todos os Créditos

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vasco vence e complica o Cruzeiro; veja coletiva de Vanderlei Luxemburgo