Blog

5 jogadores que trouxeram mais sabor à história das finais da Champions League

​Chegar até a grande decisão de uma ​Champions League é um feito para poucos. Imagina só transformar esse sonho em realidade, mas com uma pitada a mais de sabor para coroar tal feito. É o que aconteceu com vários destes jogadores aqui embaixo, que não apenas chegaram à final, como também fizeram a diferença e marcaram para sempre seus nomes na história do torneio. Confiram!


Zidane (2001/2002)

Camisa 5 do Real Madrid e já detentor de grandes conquistas como a Copa de 98, o francês Zinedine Zidane entrou na galeria dos grandes nomes da Champions principalmente após marcar aquele que é considerado por muitos o gol mais bonito já feito em uma final da competição. Na reta final do primeiro tempo, diante do Bayer Leverkusen, o meia emendou um lindíssimo voleio de canhota após levantamento de Roberto Carlos. Era o segundo gol da vitória madrilenha por 2 a 1 em Glasgow, na Escócia. Inesquecível!


Dida (2002/2003)

Dida of AC Milan in action

Uma verdadeira barreira de gelo debaixo das traves. Este era Dida, goleiro com Copas do Mundo no currículo, e uma participação espetacular no título do Milan (onde é ídolo) em 2002/2003. A final contra a rival Juventus, em Old Trafford, caminhou para um 0 a 0 sem tantas emoções. Mas foi nos pênaltis que o arqueiro brasileiro fez toda a diferença. Três cobranças defendidas, e a garantia de que a “orelhuda” pertenceria aos rubro-negros naquela temporada.


Belletti (2005/2006)

Juliano Belletti

Barcelona e Arsenal protagonizaram a final da Champions League daquele ano, num duelo repleto de craques: Ronaldinho, Eto’o, Deco, Henry, Pires, Fabregas, dentre muitos outros, mas foi um herói improvável que deu números derradeiros à partida. O lateral-direito Belletti saiu do banco de reservas para marcar o gol da vitória por 2 a 1 aos 36 minutos do segundo tempo e dar um desfecho ainda mais imprevisível naquele que era apenas o segundo título de Champions da história do clube catalão.


Lionel Messi (2010/2011)

Barcelona's Argentinian forward Lionel M

Já consolidado como um dos grandes de sua época na ocasião, ​Messi chamou a responsabilidade em mais uma final contra o Manchester United. Depois de marcar no título de 2008/2009, o argentino voltou a balançar as redes contra os ingleses em 2010/2011. Mas não só isso: também foi o autor da assistência para David Villa dar números finais ao confronto (terminado em 3 a 1). Como um maestro, conduziu os catalães a uma vitória firme e incontestável. Histórica.


Neymar (2014/2015)

Neymar

Primeira final da Champions League de ​Neymar, que vinha de uma fase decisiva assombrosa pelo Barça, mas o então camisa 11 do Barcelona não amarelou. Foram 7 gols no mata-mata, incluindo o que marcou na partida derradeira contra a Juventus, ao anotar o terceiro e último na vitória por 3 a 1. A comemoração icônica deu o tom: seu gol pôs números finais na competição. Atuação brilhante que lhe rendeu inclusive a artilharia do torneio.


Cristiano Ronaldo (2016/2017)

Cristiano Ronaldo

Naquela temporada, ​Cristiano Ronaldo estava imparável. Artilheiro e líder nato do Real Madrid, mais uma vez classificado à decisão após ter vencido o rival Atlético no ano anterior e com sede de emplacar mais uma taça para a sua coleção. A Juventus era a adversária da vez e até tentou complicar o jogo. O português abriu o placar, mas Mandzukic igualou num lindo gol. Só que, decisivo como sempre, o camisa 7 mostrou mais uma vez sua capacidade de sacramentar vitórias (e títulos) ao marcar o terceiro tento merengue. Praticamente dilacerou o sonho da Velha Senhora. A partida terminou 4 a 1 para os espanhóis, àquela altura bicampeões consecutivos.

Todos os Créditos

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vasco vence e complica o Cruzeiro; veja coletiva de Vanderlei Luxemburgo