Blog

10 mulheres que se destacaram na história do futebol

O dia 8 de março é o Dia Internacional da Mulher, escolhido para celebrar a luta feminina por liberdade e igualdade. O futebol, ainda mais do que outros meios, é um ambiente dominado pelos homens, mas que também possui, assim como qualquer outra parte da sociedade, mulheres que se destacam no que fazem.

Para parabenizá-las e homenageá-las, a 90min traz uma lista de 10 mulheres que fizeram ou ainda fazem história no futebol brasileiro e mundial. Confira! 

10. Birgit Prinz

A ex-atacante alemã Birgit Prinz jogou até 2011 e é a segunda maior vencedora do prêmio de melhor jogadora do mundo – ganhou em 2003, 2004 e 2005. É também a segunda maior artilheira em Copas do Mundo, com 14 gols. 

9. As torcedoras

Não se trata de uma mulher em específico, mas de um grupo delas. A expressão “torcedor” faz parte não só do futebol, mas de diversos outros esportes. Mas você sabe de onde ela vem? Nós explicamos. O termo existe por causa das mulheres. Nos primórdios da história do futebol no Brasil, no início do século XX, ir ao estádio fazia parte da vida social. Às Laranjeiras, estádio do Fluminense, as moças iam com vestidos de alta costura, chapéus e… luvas. Com o calor do Rio de Janeiro, acabavam por retirar as peças das mãos e torciam-nas com o nervosismo das partidas. Coelho Neto, cronista da época, notou o hábito e referiu-se às mulheres como “as torcedoras”. 

(Foto: Fluminense FC)

8. São José

Mais uma vez tratamos de um grupo de mulheres que merecem uma atenção especial. O São José, de São Paulo, venceu a Copa Libertadores feminina em 2014 e foi campeão mundial em seguida, em um torneio disputado no Japão. Na semifinal, as paulistas derrotaram o Urawa, clube da casa, por 1 a 0, e conquistaram o título em cima do Arsenal, com um triunfo por 2 a 0. Em 2015, a Mundial feminino foi cancelado por falta de autorização da Fifa.

7. Mia Hamm

​Mia Hamm é uma atacante norte-americana que jogou de 1988 até 2004. Com sua seleção, ganhou duas medalhas de ouro olímpicas (Atlanta-1996 e Atenas-2004) e uma Copa do Mundo (1999). Em 275 partidas com a camisa americana, Hamm marcou 158 gols. Ela aparece na lista de 125 melhores jogadores(as) vivos(as) da FIFA, divulgada em 2004, e foi eleita a melhor jogadora do mundo pela entidade por duas vezes (2001 e 2002). Mia também foi uma das fundadores do time Washington Freedom, em 2001, clube que mudou de nome em 2011 para magicJack. 

6. Silvia Regina

Silvia Regina foi reconhecida pela Federação Paulista de Futebol como árbitra em 1997 e passou seis anos de sua carreira apitando jogos de futebol feminino. Em ​2003, entrou para a história do futebol brasileiro ao se tornar a primeira mulher a apitar uma partida de futebol masculino da Série A do Brasileirão. Não só a arbitragem principal foi feminina, mas como todo o trio. Silvia teve a assistência das bandeirinhas Aline Lambert e Ana Paula Oliveira. 

5. Abby Wambach

Abby Wambach é a maior artilheira da história da Seleção dos Estados Unidos – tanto a feminina quanto a masculina. Com seus 184 gols, Abby conquistou duas medalhas de ouro olímpicas (Atenas-2004 e Londres-2012) e uma Copa do Mundo (2015). Foi eleita a melhor jogadora do mundo em 2012. 

4. Hope Solo

A veterana goleira norte-americana tem uma extensa carreira na Seleção dos Estados Unidos, onde começou no ano de 2000. Em 18 anos, já acumula duas medalhas de ouro olímpicas (Pequim-2008 e Londres-2012) e uma Copa do Mundo (2015), além dos seguintes recordes pessoais: goleira que mais vestiu a camisa da seleção (192), minutos consecutivos jogando pela seleção (1.256) e maior número de partidas de invencibilidade na seleção (55). 

3. Honey Thaljieh

Palestina, árabe, mulher e cristã. Nada disso impediu que Honey Thaljieh realizasse seu sonho de jogar futebol. Já na faculdade, em Belém, reuniu outras quatro mulheres no que seria o grupo embrionário da até então inexistente Seleção Palestina de futebol feminino. A Federação Palestina de Futebol autorizou a criação da equipe em 2005 e foi criada também uma liga feminina no país. Após cerca de 17 gols por sua seleção,Tholjieh se aposentou em 2009 devido a lesões, mas não abandonou o futebol. Terminou a pós-graduação da Fifa em “Gestão, lei e humanidades do esporte” em 2012 e trabalha na entidade desde então. Atualmente, é gerente de comunicações corporativas. 

2. Carli Lloyd

Carli Lloyd é a camisa 10 da Seleção dos Estados Unidos e cumula dois prêmios da Fifa de melhor jogadora do mundo (2015 e 2016). A meia também tem no currículo duas medalhas de ouro olímpicas (Pequim-2008 e Londres-2012) e uma Copa do Mundo (2015), da qual foi eleita também a melhor jogadora. Atualmente, joga pelo Manchester City.

1. Marta

Maior vencedora da premiação de melhor jogadora de futebol do mundo, Marta conquistou o prêmio da Fifa por cinco vezes consecutivas (2006, 2007, 2008, 2009 e 2010), um recorde entre homens e mulheres. É também a maior artilheira da história das Copas do Mundo femininas, com 15 gols, e a maior artilheira da história da Seleção Brasileira (tanto feminina quanto masculina), com 106 gols.

Todos os Créditos

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vasco vence e complica o Cruzeiro; veja coletiva de Vanderlei Luxemburgo